Dia: maio 20, 2016

O universo que há em um fato

Amigos,

Nos dois últimos posts usamos o termo “boa história” para exemplificar momentos em que o jornalismo soube aproveita-las.

Novamente pergunto: mas o que é uma boa história para o jornalismo? Infelizmente continua difícil chegar a uma resposta certeira.

Mas sabemos que a existência de uma boa história depende muito de algo: o jornalista e sua capacidade (e disposição) para buscar ou construir uma.

Nessa altura do semestre, vocês já estão com a produção da reportagem encaminhada. Por isso proponho mais exemplos de textos que podem usar como inspiração, base ou guia.

O caderno Aliás do Estadão propõe-se a repassar, aprofundar e analisar os fatos noticiados na semana. E quem seguiu essa premissa foi o jornalista Christian Carvalho Cruz. Seus textos que já foram impressos no suplemento merecem destaque:

Escrito em 1ª pessoa “Uma senhora batuta” nos lembra o estilo do livro de Claudio Tognolli. Em “Fóssil à deriva”, além de um factual com narrativa literária, nos é apresentado um resumo histórico. Assim também no “De torpedo em torpedo” no qual passamos a saber da existência de um campeonato de digitação e da evolução do dedo polegar. Em “A vida em rosa” há metáforas, comparações, jogos com palavras, descrição de personagens tão detalhadas, que até o jeito e sotaque da fala são evidenciados.

Lembrando que esses textos ocuparam uma página standard de jornal, obrigando o jornalista a escrever com concisão, ritmo e cadência.

Outra dica que deixo é a série de reportagens que a VICE Brasil vem publicando sobre a semana violenta de maio de 2006, em São Paulo. O Risca Faca também está com uma edição especial sobre o tema.

Só mais uma, que foge de jornalismo literário: entre junho e julho acontece o curso online gratuito “Produção de Vídeos Jornalísticos para a Internet”, oferecido pela Associação Nacional dos Jornais (ANJ). Acredito que vale muito a inscrição, considerando que o vídeo online é a tendência da década e será responsável por 80% do tráfego da internet em 2019.

Aproveitem a leitura 🙂